Portal da escrita

Início » Parceiros » [PARCEIROS] Ao meu dono com carinho

[PARCEIROS] Ao meu dono com carinho

cachorro-comendo-dedo.jpg

Eu fui tirado da minha mãe para viver com você, esperaram apenas que eu desmamasse para que eu nunca mais tivesse notícias dela.
Eu estava em uma caixinha de papelão brincando com meus irmãos quando você me escolheu. Afinal, eu sou muito fofo, né?
Ninguém resiste.
E eu tive sorte, porque muitos vão parar na rua, sem ter o que comer, sem ter um lugar confortável para dormir, e até apanham de desconhecidos.
Outros até são adotados, mas apanham constantemente até crescerem, ficarem menos fofos, e serem abandonados.
Outros vão parar em Pet Shops. Alguns desses cães de Pet Shop têm a sorte de serem comprados, outros não. E os que não são, posso lhe dizer que o destino não é muito florido.
Mas eu fui escolhido por você, e sou grato por isso.
Mesmo assim, chorei durante a noite por um tempo, afinal, sentia muita falta do carinho da minha mãe e de meus irmãos. Aposto que se você fosse afastado(a) de seus pais em plena infância, agiria de forma muito mais desoladora que a minha.
Mas você me deu carinho, me deu amor, me deu alimentação e um lugar quentinho e macio para dormir. Com o tempo, aprendi a superar a saudade da minha família canina.
Sabe, tem algumas coisas que eu não entendo em você.
Por que precisamos de um lugar específico para fazer as necessidades, se é muito mais fácil e prático fazer onde estiver? Não te incomoda ter que sair correndo e segurar as pontas só pra fazer no local definido?
Humanos e suas regras estúpidas… mas como eu te amo, tento segui-las ao máximo possível.
Sei que você fica bravo quando eu escavo todo o quintal, mas nunca vou te entender por não querer fazer isso. Poderíamos ir até a China, mas toda vez que eu começo o trabalho, você cobre tudo e eu preciso fazer tudo de novo! Isso me frustra um pouco, mas eu te amo e te perdoo.
Sei que você fica bravo quando eu mordo e rasgo seus pertences, mas assim como você sente vontade de apertar quando vê algo fofo, eu sinto vontade de morder e rasgar quando acho algo legal. A diferença é que eu não me reprimo como você. Mas eu te amo, então deixo quieto.
Talvez você não entenda por que eu corro atrás de você cheio de amor para dar mesmo se você tiver gritado muito comigo, ou até me batido.
Mas eu é que não entendo por que vocês, humanos, acham tão importante manter o rancor e o orgulho. Talvez a pose seja importante para vocês, afinal, alguns vivem até depois dos cem anos de idade.
Mas eu só vivo sete e se tiver sorte, for bem cuidado, alimentado, etc, consigo viver até os doze ou treze anos. Nunca vi nenhum cachorro chegar aos vinte.
E é por ter uma vida tão curta que me importo tanto em demonstrar tanto amor.
Eu tenho apenas sete anos para viver. Quero que sejam sete anos de alegrias, de amor, de carinho, de companheirismo, de solidariedade.
Fico chateado quando você briga, mas fico muito feliz quando tudo passa e você vem me fazer carinho e usar aquela voz ridícula comigo (sério, que doença vocês têm?). Eu gosto de te ver feliz, sorrindo, dando gargalhadas.
Me parte o coração ver você chateado, e parte mais ainda ver você chorar. Mas a gente precisa chorar para colocar as mágoas pra fora, né? Faz parte.
Só o que te peço é que não seja rancoroso comigo. Eu destruo teus chinelos, teu jardim, mas jamais destruiria seus sentimentos. Eu te amo, então, se depois de brigar você ficar com vontade de me fazer carinho, não se acanhe: eu vou te receber de bom grado, te lamber e deixar claro que está tudo bem, como deveria estar.
Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: