Portal da escrita

Receba nossa novidades em primeira mão!

Junte-se a 56.381 outros seguidores

Matéria Escura – Blake Crouch

Um dos lançamentos mais incríveis que a Intrínseca trouxe até agora neste ano, e de uma beleza editorial impressionante, Matéria Escura foi uma leitura de impacto tremendo para mim. Eu não sabia muita coisa sobre a história antes de começar a ler, sabia apenas que girava em torno da teoria dos multiversos, e mesmo disso não sabia muita coisa.

A verdade é que minha experiência com a teoria do Multiverso se baseia, em grande medida, na série de TV The Flash, ou seja, não tem uma base 100% cientifica. Por isso, talvez, a forma bastante técnica e, ainda assim, compreensível para nós, pessoas comuns, que não estamos acostumados a lidar com problemas de física no nosso cotidiano. Acho, inclusive, que eu nunca achei a Física, enquanto disciplina, tão tangível e interessante quanto ao longo das frenéticas 48h que levei para ler este livro.

Nosso protagonista é Jason Dessen, um homem que aparentemente é feliz, embora, como todos nós, fez escolhas que, em um momento ou outro, questiona se foram as escolhas corretas ou não. Ainda sim, refazê-las não parece ser uma vontade sua. Ele está perfeitamente satisfeito com sua vida. Mas, à sua revelia, ele acaba sendo enviado a um outro mundo paralelo, onde as suas escolhas teriam sido outras e, portanto, a vida que construí para si completamente diversa.

Ao longo de Matéria Escura vamos acompanhando, deste modo, três momentos da história de Jason. Primeiramente, ele busca compreender o que aconteceu com ele, pois ele não sabe, de início, nem quem nem como nem porque tudo isso está acontecendo com ele. Em segundo lugar, acompanhamos a luta para Jason voltar para casa. Finalmente, acompanhamos as consequências deste processo de volta para casa, consequências estas bastante surpreendentes.

Estas consequências acabam sendo, na verdade, o que leva o livro a um nível existencialista tão impressionante. Pois, sem dar nenhum SPOILER, a questão deixa de ser apenas em que medida podemos ou não refazer nossas grandes escolhas, dedicar-se a família ou ao trabalho, por exemplo, mas em que medida cada pequena escolha, às quais nem damos muita importância, é responsável por formar quem somos, nossa essência.

Somos apenas a soma de nossas escolhas? Nosso passado sempre é o que determina nosso futuro? Podemos mesmo falar de essência ou, como pretende a corrente existencialista, tudo o que somos é o que fazemos? Matéria Escura apresenta alguns caminhos para respondermos estas perguntas, o mais interessante deles presente em uma conclusão a que Jason chega ao final de sua jornada:

Não posso deixar de pensar que somos mais do que a soma total de nossas escolhas e que todos os caminhos que poderíamos ter trilhado influem de algum modo na matemática da nossa identidade.

Maíra Protasio

Escritora e mestranda em Filosofia da Arte, vive desde sempre entre livros e cadernos. Vem publicando desde 2014 resenhas de suas leituras em seu blog: doquetenholido.wordpress.com

O trailer é EXTRAORDINÁRIO!

Essa semana foi divulgado o primeiro trailer para a adaptação cinematográfica do livro “Extraordinário” de R. J. Palácio e você pode assistí-lo aqui.

 

fonte: saraiva.com.br

Caso você não conheça o livro, essa aí em cima é a capa dele e, a seguir, você pode ler a sinopse:

 

August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade – até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente – convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.
Do mesmo universo de “Extraordinário”, você também pode conhecer:
Somos Todos Extraordinários
Somos todos extraordinários
365 Dias Extraordinários
365 dias extraordinários
Auggie e Eu
Auggie e eu
Diário Extraordinário
Diário extraordinário
E os e-books:
O capítulo do Julian
O capítulo do Julian
Plutão
Plutão
Shingaling
Shingaling

Atalhos

Portal da escrita

AutoCad_ Dicas e Atalhos de Comando - Fábrica do Projeto

Todos nós temos um objetivo na vida e para alcançá-lo precisamos trilhar uma jornada. Mas no decorrer do tempo, muitas vezes a dificuldade aparece e o cansaço nos acomete e geralmente é nesses momentos que diante de nós aparecem atalhos.
Mas será que vale a pena optar por atalhos? Em minha humilde opinião: Não!
Pois há atalhos que mais nos distância do nosso objetivo, do que nos aproxima.
Por mais que o caminho, seja longo e íngreme vale a pena percorrer o caminho inteiro, pois isso nos faz crescer como pessoas, pois há aprendizado. Onde há aprendizado, há uma aquisição de conhecimento e isso é muito bom.
Há atalho que se apresenta diante de nós, como uma nítida oportunidade de alcançar aquilo que tanto almejamos de forma rápida, porém nos distância de quem verdadeiramente somos, pois vai na contramão do que é correto.
Certamente, de nada vale conquistar o mundo…

Ver o post original 133 mais palavras

Meus 15 Anos: o livro que virou filme

Andou circulando pela internet nos últimos dias o trailer de “Meus 15 Anos”, o filme que estrela Larissa Manoela e fala sobre a festa de debutante da personagem principal, terá sua estreia nos cinemas no dia 15 de junho!

Você pode assistir o trailer aqui.

Esse filme é inspirado pelo livro de mesmo nome, escrito por Luiza Trigo e que será publicado pela Editora Rocco.

 

fonte: Amazon

Essa é a capa original, mas a Rocco já tem preparada uma capa com a Larissa Manoela em destaque, devido ao filme.

 

Atalhos

AutoCad_ Dicas e Atalhos de Comando - Fábrica do Projeto

Todos nós temos um objetivo na vida e para alcançá-lo precisamos trilhar uma jornada. Mas no decorrer do tempo, muitas vezes a dificuldade aparece e o cansaço nos acomete e geralmente é nesses momentos que diante de nós aparecem atalhos.
Mas será que vale a pena optar por atalhos? Em minha humilde opinião: Não!
Pois há atalhos que mais nos distância do nosso objetivo, do que nos aproxima.
Por mais que o caminho, seja longo e íngreme vale a pena percorrer o caminho inteiro, pois isso nos faz crescer como pessoas, pois há aprendizado. Onde há aprendizado, há uma aquisição de conhecimento e isso é muito bom.
Há atalho que se apresenta diante de nós, como uma nítida oportunidade de alcançar aquilo que tanto almejamos de forma rápida, porém nos distância de quem verdadeiramente somos, pois vai na contramão do que é correto.
Certamente, de nada vale conquistar o mundo inteiro e perder a nossa alma!
Precisamos entender que não vale a pena optar pelo o erro, para conquistar nossos objetivos, pois tudo o que construímos sobre alicerces do erro tende a ruir de forma desastrosa, mas cedo ou mais tarde.
Talvez você esteja passando por isso e precisa tomar uma decisão, fazer uma escolha. Talvez já optou pelo atalho e se arrependeu. Tenho apenas uma coisa para lhe dizer:
Sempre é tempo de fazer o que é certo!
Talvez foram preciso muitos passos para te distânciar, mas precisará de apenas um para regressar.
Eu não sei pelo o que você está passando, ninguém sabe, mas há um Um que sabe: Deus! E ele é fiel para te auxiliar e guiar. É só ir até a Ele sem reservas.

*** Monýh Oliver

https://www.facebook.com/AbrigodaAlma/

O PERIGO DA SOBERBA E DA ALTIVEZ DO ESPÍRITO SEGUNDO A BÍBLIA

quando cavamos buracos em nossas vidas_

“A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda. (Provérbios 16:18)”

Antes de nos aprofundarmos nesse assunto, vamos entender melhor o que é SOBERBA e ALTIVEZ.

SOBERBA: É uma manifestação de orgulho, de pretensão, de superioridade sobre as outras pessoas. É arrogância, altivez, a autoconfiança exagerada. Soberba é um substantivo feminino do latim supervia, que significa elevação, presunção, orgulho.

ALTIVEZ: É a característica de algo ou alguém que é altivo, ou seja, que tem amor próprio, considera-se superior, orgulhoso ou digno. Pode também estar relacionado com um comportamento que denota arrogância ou soberba.
Geralmente quando pensamos na palavra altivo, vem à nossa mente a imagem de uma pessoa rica e esnobe. No entanto, a Bíblia usa esse termo para descrever qualquer atitude de “ser melhor que os outros”. A pessoa não precisa ser rica para ser cheia de altivez. Quem se considera mais inteligente, mais bonito, mais forte ou mais capaz que os outros, já demonstra aspecto de arrogância.
Por mais que uma pessoa tenha uma beleza, inteligência, capacidade que salte aos olhos, não deve nutrir dentro de si o sentimento de superioridade, porque assim a pessoa estará se tornando cada vez mais arrogante e soberba e assim se afastando mais e mais do Criador.

O orgulho é algo sério! Ele enche o coração humano de ego e quem é contaminado por esse mal sente-se superior aos demais e isso pouco a pouco o apodrece por dentro.
O orgulhoso se sente sábio demais para conselhos, ou aprendizado. Suficiente demais para ter companhia e carrega consigo a equivocada certeza de que não precisa de nada e de ninguém.
Porém, a altivez e o orgulho eleva a pessoa a um alto lugar, apenas para vê-la cair e a queda é violenta e desastrosa.
Acredite, o orgulho precede a ruína e a altivez do espírito precede a queda! Essa sequência é natural e inevitável.
Note que a consequência desses dois atos são distintas, a altivez por ser um posicionamento ela nos faz cair, a soberba porém nos destrói.
Muitos hoje em dia são contaminados por esses males e andam por aí sentindo-se um “deus” em meio a meros mortais. Mas a verdade é que não é nada disso, a pessoa nada mais é que uma pobre criatura que necessita de aprendizado, entendimento, sabedoria, amor, companhia e auxílio como todos os demais.
O problema é que o orgulho cega a visão, e faz a pessoa caminhar sem perceber na direção da própria destruição e quando chega a perceber já está no chão.

PORQUE A SOBERBA, A ALTIVEZ DESAGRADA TANTO A DEUS?

A soberba, a altivez desagrada tanto a Deus porque O afronta diretamente, afinal pode-se considerar que é uma forma de idolatria, pois deixamos de adorar e engrandecer a Deus que é o único digno de toda honra e glória, para se auto-adorar e auto-engrandecer. Também foram atitudes que iniciaram e provocaram uma rebelião nos céus, a qual trouxe discórdia, que culminou na queda de Lúcifer e de um terço dos anjos.
A soberba afasta os filhos da presença do PAI! Foi o que aconteceu com Adão e Eva lá no paraíso, quando se deixaram enredar por Satanás e quiseram ser igual a Deus. (Gênesis 3:5-6)
O descontentamento de Deus, com essa prática diabólica, fica evidente quando Ele fala a respeito de Edom, através do profeta Obadias:
“A soberba do teu coração te enganou, como o que habita nas fendas das rochas, na sua alta morada, que diz no seu coração: Quem me derrubará em terra? Se te elevares como águia, e puseres o teu ninho entre as estrelas, dali te derrubarei, diz o SENHOR.” (Obadias 1:3-4)
Se um soberbo pensa que esta acima do bem e do mal, seu engano é dobrado, pois no céu sua entrada é vetada (1 Coríntios 6:9-10) e na terra Deus vai abatê-lo. (Provérbios 29:23) Sendo assim, é certo que irá perecer, a menos que a pessoa se arrependa e se volte ao Senhor.
A soberba, a altivez é algo tão sério que encabeça a lista das seis coisas que aborrece ao Senhor citadas em Provérbios 6:16-19.
Pense nisso.

CONCLUSÃO:

Meditemos e guardemos em nossos corações este versículo…
… Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. (Tiago 4:6)

DEUS ABENÇOE.

 

 

Monýh Oliver

https://www.facebook.com/AbrigodaAlma/

Minc descumpre regimento do CNPC e desrespeita prazo de publicação de moções

Em descumprimento ao regimento do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), o Ministério da Cultura (Minc) ainda não publicou as moções do Colegiado Setorial de Literatura, Livro e Leitura (CSLLL), seis meses depois de aprovadas em reunião.

Uma vez que o regimento do colegiado não estabelece expressamente prazo para publicação de moções, aplica-se o artigo 28 do Regimento Interno do CNPC: “As resoluções, moções, proposições e recomendações aprovadas pelo Plenário, assinadas pelo Presidente e pelo Secretário-Geral do Conselho, serão publicadas no Diário Oficial da União, no prazo máximo de quarenta dias, devendo ser divulgadas por intermédio do sítio eletrônico do Ministério da Cultura.”

Entretanto, até o momento, não houve publicação nem no Diário Oficial, tampouco no site do Minc. As últimas moções e recomendações publicadas no site são de 2014.

500px-Edit-delete-not_encyclopedic.svgDe acordo com a Secretaria de Articulação e Desenvolvimento Institucional (SADI) do Minc, as quatro moções e uma recomendação aprovadas na última reunião do CSLLL, realizada entre os dias 29 e 30 de novembro de 2016, em Brasília, “se encontram em análise na Secretaria-Geral do CNPC”, o que está em desacordo com o regimento do CSLLL.

Segundo o Regimento Interno do colegiado, a Secretaria-Executiva do CNPC tem o papel de unicamente reunir, ordenar e indexar as recomendações e moções, que “independem de apreciação por outras instâncias do Conselho”.

Membros do colegiado entendem a atitude do Minc como forma de censura, uma vez que as moções repudiam medidas do próprio Governo Federal. São elas: 1) a Moção de Repúdio à Proposta de Emenda à Constituição N. 55, que congela e bloqueia o custeio e os investimentos públicos por 20 anos; 2) a Moção de Repúdio ao Projeto de Lei 193/2016 (Programa Escola sem Partido); 3) a Moção de Repúdio à Medida Provisória 746/2016, sobre a Reforma do Ensino Médio; 4) a Moção de Repúdio à extinção da Diretoria do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca; 5) e uma Recomendação de consulta pública para aprovação dos seis eixos da IV Conferência Nacional de Cultura (CNC).

Revelada a capa de “A lógica inexplicável da minha vida”

A Editora Seguinte acabou de revelar a capa do livro de Benjamin Alire Sáenz – A lógica inexplicável da minha vida. O lançamento está previsto para o dia 30 de junho e o livro já está em pré-venda!

 

fonte: Editora Seguinte (via e-mail)

Sinopse: Salvador levava uma vida tranquila e descomplicada ao lado de seu pai adotivo gay e de Sam, sua melhor amiga. Porém, o último ano do ensino médio vem acompanhado de mudanças sobre as quais o garoto não tem nenhum controle, como ímpetos de raiva que ele não costumava sentir.
Além disso, Salvador tem que lidar com a iminente morte da avó, com uma tragédia repentina que acontece na vida de Sam e com o fato de seu pai estar se reaproximando de um ex-namorado. Em meio a esse turbilhão de sentimentos, que vão do luto ao amor e da amizade à solidão, Sal passa a questionar sua própria origem e identidade, e tenta encontrar alguma lógica para a sua vida — uma tarefa que parece quase impossível.

 

AQUILO QUE ALMEJAMOS

Amanhã é outro dia_ Ao pôr do Sol

 

Parábola

Luíza era uma mulher de princípios, era destemida e quando tinha um objetivo não descansava enquanto não o alcançava, de fato era uma mulher admirável. Porém, havia algo que estava minando suas forças, a cada não ela sentia o peso da frustração.
Ela era casada há mais de uma década, com um bom homem que também compartilhava do mesmo anseio que ela, ambos ansiavam por um filho.
E depois de alguns abortos, inúmeros tratamentos e vários diagnósticos de possibilidade negativa, assim se encontraram diante de uma porta fechada.
Uma grande tristeza recaiu sobre eles e ambos estavam à beira da depressão. Porém Luíza se recusou a abraçar e aceitar aquela situação, depois de assistir uma matéria no jornal sobre orfanato, sentiu um mover diferente dentro de si e com ânimo renovado, incentivou e  persuadiu o esposo à acompanhá-la em uma visita ao orfanato de sua cidade, lugar esse que se não fosse pela situação que estavam vivendo, jamais passaria por sua cabeça ir visitá-lo. E fora lá que ambos os conheceram, seus olhos repousaram especialmente sobre três irmãos, um  garotinho de 7, uma garotinha de 5 e um garotinho de 3 anos com necessidades especiais. Ambos naquele exato momento sabiam que acabaram de alcançar o tão almejado objetivo.

REFLEXÃO

Quão difícil é ter um objetivo e com grande anseio lutar para conquistá-lo e não alcança-lo. Mas sabia que o fato de não termos conquistado certos anseios, não necessariamente significa que fracassamos? E sim que de alguma forma fomos poupados de um objetivo que perseguimos, mas que não foi feito para nós, não ao menos do jeito que queremos?
Os nãos que as vezes recebemos na jornada da vida, são tão violentos que é capaz de nos jogar no chão, se não estivermos bem estabelecidos. A questão é que todos nós estamos sujeitos à isso, as vezes conseguimos exatamente aquilo que queremos, as vezes não, e é exatamente nessa hora em que nos deparamos com a porta fechada.
Isso não significa que é o fim e sim que o Criador está querendo nos conduzir por um caminho mais excelente, onde encontraremos outra porta aberta e através dela conquistaremos três vezes mais do que aquilo que almejamos.
Não se desespere, nem desanimes diante dos “nãos” da vida, pois cada um deles está te forjando para as inúmeras bençãos que virão.
*** Monýh Oliver

https://www.facebook.com/AbrigodaAlma

CONDUTA QUE PROMOVE A PAZ

“Rejeite as questões insensatas e absurdas, pois sabes que só engendram contendas. (2Timóteo 2: 23)”

A paz que temos, é algo dado a nós pelo Criador e se alguma vez ela foi tirada de nós, por um breve momento que seja, é porque nós mesmo permitimos.
O versículo Bíblico acima, nos orienta a evitarmos questões que geram contendas. Precisamos ser espiritualmente maduros e usar a sabedoria que Deus nos deu, para podermos falar somente quando for absolutamente necessário, é importante saber quando se deve calar.
Precisamos aprender a ouvir mais, pois só assim, teremos a oportunidade de compreender mais. E é preciso acima de tudo estar pronto a perdoar. Pois quando um não quer, dois não brigam!
Não é covardia, não revidar da mesma forma a afronta do seu ofensor e sim, demonstra que és sábio e tens a força, a serenidade e a coragem precisa, para não se deixar dominar pela ira.

É impossível passar pela vida sem ter algum tipo de conflito com alguém. Porém, como diz Max Lucado o conflito é inevitável, mas o combate é opcional.
Precisamos aprender a resolver todos os nossos conflitos, sem retaliações movidas pela ira e pelo ódio e a base para este tipo de proceder é o amor.
É possível aprender o silêncio, perante os faladores. A tolerância perante os intolerantes. A bondade perante os maldosos. A fidelidade perante os infiéis. A perdoar perante os que cultivam a mágoa e o amor perante aqueles que promovem o ódio. Por mais estranho que pareça, talvez seja exatamente por isso que Deus as vezes permite que certas situações aconteça. Porque assim podemos aprender, crescer e nos tornarmos melhor.

 

Monýh Oliver

https://www.facebook.com/AbrigodaAlma/

 

%d blogueiros gostam disto: