Portal da escrita

Receba nossa novidades em primeira mão!

Junte-se a 56.341 outros seguidores

Bem-vindo ao Portal da Escrita!

SITE / LIVRARIA / SOBRE MIM / NEWSLETTER

“Era o dia quatro de setembro de 2015 quando eu nasci. Tão pequenino! Mas com uma missão maior do que eu poderia imaginar: mostrar ao mundo que escrever poderia ser divertido.

Foram tantos contratempos, tantas dificuldades ao tentar conquistar meu objetivo. Mas eu não desisti! Perseverei e aos poucos, as pessoas começaram a me ouvir, e veja só, começaram até a gostar da minha companhia.

O tempo passou, eu cresci, e sabe como é, precisava de um espaço maior onde pudesse arrumar tudo do jeitinho que mais gosto e que também, comportasse todos os meus sonhos.

Mas não queria um espaço só meu. Você é meu convidado especial nesse cantinho!

Como chegar aqui? É fácil… Siga em frente na avenida Sonhos, vire à esquerda na travessa da Fantasia (cuidado com as ideias espalhadas pelo chão, ali costuma ser uma bagunça), vagueie sem pressa até encontrar um portal. Assim que encontrá-lo, entre sem medo. Pronto! Você chegou.

Ah! Pode trazer quantas pessoas quiser. Aqui tem espaço para todos os sonhos do mundo. E o melhor, aqui eles se tornam reais.”


O Portal da Escrita foi criado em 2015, e tem como meta, mostrar que a escrita é para todos e que a literatura pode ser divertida. Nas oficinas produzidas pelo Portal, todos são protagonistas: ensinando, aprendendo e criando de forma colaborativa, transformando desde a menor ideia em grandiosos e inovadores projetos.

Nosso primeiro lançamento foi o livro digital Jovens Escritores, Grandes Histórias em 2015 e em 2016, o livro físico Do Nascimento ao Epitáfio, já publicado pela editora Illuminare, livro que reuniu alguns dos contos produzidos em nosso I Game Literário e contou com a participação de escritores do Brasil e de Portugal, além de juradas maravilhosas <3.

Se você tem um projeto diferente, criativo, inovador, saiba que aqui tem espaço para todos os sonhos do mundo. E o melhor, aqui eles se tornam reais.

Seja bem-vindo ao Portal da Escrita!


Livros, cursos, oficinas e workshops para quem ama e/ou sonha em viver de literatura ❤

Agora também teremos conteúdo exclusivo para os vestibulandos!!!

O Portal da Escrita na internet.


Conheça também a nossa revista: Litera Digital e a nossa editora, a editora IKIGAI.

Trazendo uma oportunidade real de publicação para novos autores.

Esperamos por vocês!!!

Revista Litera Digital – 01/2017 – Plataformas Digitais

Lançamento: 10 de janeiro

Quero ler!


Quer ter seu texto publicado aqui no Portal? Preencha o formulário e aguarde nosso contato.

 Assine nossa newsletter e não perca nenhuma novidade.

Minc descumpre regimento do CNPC e desrespeita prazo de publicação de moções

Em descumprimento ao regimento do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), o Ministério da Cultura (Minc) ainda não publicou as moções do Colegiado Setorial de Literatura, Livro e Leitura (CSLLL), seis meses depois de aprovadas em reunião.

Uma vez que o regimento do colegiado não estabelece expressamente prazo para publicação de moções, aplica-se o artigo 28 do Regimento Interno do CNPC: “As resoluções, moções, proposições e recomendações aprovadas pelo Plenário, assinadas pelo Presidente e pelo Secretário-Geral do Conselho, serão publicadas no Diário Oficial da União, no prazo máximo de quarenta dias, devendo ser divulgadas por intermédio do sítio eletrônico do Ministério da Cultura.”

Entretanto, até o momento, não houve publicação nem no Diário Oficial, tampouco no site do Minc. As últimas moções e recomendações publicadas no site são de 2014.

500px-Edit-delete-not_encyclopedic.svgDe acordo com a Secretaria de Articulação e Desenvolvimento Institucional (SADI) do Minc, as quatro moções e uma recomendação aprovadas na última reunião do CSLLL, realizada entre os dias 29 e 30 de novembro de 2016, em Brasília, “se encontram em análise na Secretaria-Geral do CNPC”, o que está em desacordo com o regimento do CSLLL.

Segundo o Regimento Interno do colegiado, a Secretaria-Executiva do CNPC tem o papel de unicamente reunir, ordenar e indexar as recomendações e moções, que “independem de apreciação por outras instâncias do Conselho”.

Membros do colegiado entendem a atitude do Minc como forma de censura, uma vez que as moções repudiam medidas do próprio Governo Federal. São elas: 1) a Moção de Repúdio à Proposta de Emenda à Constituição N. 55, que congela e bloqueia o custeio e os investimentos públicos por 20 anos; 2) a Moção de Repúdio ao Projeto de Lei 193/2016 (Programa Escola sem Partido); 3) a Moção de Repúdio à Medida Provisória 746/2016, sobre a Reforma do Ensino Médio; 4) a Moção de Repúdio à extinção da Diretoria do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca; 5) e uma Recomendação de consulta pública para aprovação dos seis eixos da IV Conferência Nacional de Cultura (CNC).

Revelada a capa de “A lógica inexplicável da minha vida”

A Editora Seguinte acabou de revelar a capa do livro de Benjamin Alire Sáenz – A lógica inexplicável da minha vida. O lançamento está previsto para o dia 30 de junho e o livro já está em pré-venda!

 

fonte: Editora Seguinte (via e-mail)

Sinopse: Salvador levava uma vida tranquila e descomplicada ao lado de seu pai adotivo gay e de Sam, sua melhor amiga. Porém, o último ano do ensino médio vem acompanhado de mudanças sobre as quais o garoto não tem nenhum controle, como ímpetos de raiva que ele não costumava sentir.
Além disso, Salvador tem que lidar com a iminente morte da avó, com uma tragédia repentina que acontece na vida de Sam e com o fato de seu pai estar se reaproximando de um ex-namorado. Em meio a esse turbilhão de sentimentos, que vão do luto ao amor e da amizade à solidão, Sal passa a questionar sua própria origem e identidade, e tenta encontrar alguma lógica para a sua vida — uma tarefa que parece quase impossível.

 

AQUILO QUE ALMEJAMOS

Amanhã é outro dia_ Ao pôr do Sol

 

Parábola

Luíza era uma mulher de princípios, era destemida e quando tinha um objetivo não descansava enquanto não o alcançava, de fato era uma mulher admirável. Porém, havia algo que estava minando suas forças, a cada não ela sentia o peso da frustração.
Ela era casada há mais de uma década, com um bom homem que também compartilhava do mesmo anseio que ela, ambos ansiavam por um filho.
E depois de alguns abortos, inúmeros tratamentos e vários diagnósticos de possibilidade negativa, assim se encontraram diante de uma porta fechada.
Uma grande tristeza recaiu sobre eles e ambos estavam à beira da depressão. Porém Luíza se recusou a abraçar e aceitar aquela situação, depois de assistir uma matéria no jornal sobre orfanato, sentiu um mover diferente dentro de si e com ânimo renovado, incentivou e  persuadiu o esposo à acompanhá-la em uma visita ao orfanato de sua cidade, lugar esse que se não fosse pela situação que estavam vivendo, jamais passaria por sua cabeça ir visitá-lo. E fora lá que ambos os conheceram, seus olhos repousaram especialmente sobre três irmãos, um  garotinho de 7, uma garotinha de 5 e um garotinho de 3 anos com necessidades especiais. Ambos naquele exato momento sabiam que acabaram de alcançar o tão almejado objetivo.

REFLEXÃO

Quão difícil é ter um objetivo e com grande anseio lutar para conquistá-lo e não alcança-lo. Mas sabia que o fato de não termos conquistado certos anseios, não necessariamente significa que fracassamos? E sim que de alguma forma fomos poupados de um objetivo que perseguimos, mas que não foi feito para nós, não ao menos do jeito que queremos?
Os nãos que as vezes recebemos na jornada da vida, são tão violentos que é capaz de nos jogar no chão, se não estivermos bem estabelecidos. A questão é que todos nós estamos sujeitos à isso, as vezes conseguimos exatamente aquilo que queremos, as vezes não, e é exatamente nessa hora em que nos deparamos com a porta fechada.
Isso não significa que é o fim e sim que o Criador está querendo nos conduzir por um caminho mais excelente, onde encontraremos outra porta aberta e através dela conquistaremos três vezes mais do que aquilo que almejamos.
Não se desespere, nem desanimes diante dos “nãos” da vida, pois cada um deles está te forjando para as inúmeras bençãos que virão.
*** Monýh Oliver

https://www.facebook.com/AbrigodaAlma

CONDUTA QUE PROMOVE A PAZ

“Rejeite as questões insensatas e absurdas, pois sabes que só engendram contendas. (2Timóteo 2: 23)”

A paz que temos, é algo dado a nós pelo Criador e se alguma vez ela foi tirada de nós, por um breve momento que seja, é porque nós mesmo permitimos.
O versículo Bíblico acima, nos orienta a evitarmos questões que geram contendas. Precisamos ser espiritualmente maduros e usar a sabedoria que Deus nos deu, para podermos falar somente quando for absolutamente necessário, é importante saber quando se deve calar.
Precisamos aprender a ouvir mais, pois só assim, teremos a oportunidade de compreender mais. E é preciso acima de tudo estar pronto a perdoar. Pois quando um não quer, dois não brigam!
Não é covardia, não revidar da mesma forma a afronta do seu ofensor e sim, demonstra que és sábio e tens a força, a serenidade e a coragem precisa, para não se deixar dominar pela ira.

É impossível passar pela vida sem ter algum tipo de conflito com alguém. Porém, como diz Max Lucado o conflito é inevitável, mas o combate é opcional.
Precisamos aprender a resolver todos os nossos conflitos, sem retaliações movidas pela ira e pelo ódio e a base para este tipo de proceder é o amor.
É possível aprender o silêncio, perante os faladores. A tolerância perante os intolerantes. A bondade perante os maldosos. A fidelidade perante os infiéis. A perdoar perante os que cultivam a mágoa e o amor perante aqueles que promovem o ódio. Por mais estranho que pareça, talvez seja exatamente por isso que Deus as vezes permite que certas situações aconteça. Porque assim podemos aprender, crescer e nos tornarmos melhor.

 

Monýh Oliver

https://www.facebook.com/AbrigodaAlma/

 

Apenas Uma Garota: o novo romance da Intrínseca conta a história de uma jovem transexual!

Você conhece a história de Amanda Hardy? Ela é uma jovem que acabou de mudar de cidade e vai precisar batalhar para algo que vai além de se enturmar e se acostumar com o novo lugar: ela precisará afirmar sua identidade. Seu sonho é viver como qualquer outra garota, mas ela esconde um segredo que dificulta muito a realização de seu desejo.

Sinopse: Prestes a entrar na vida adulta, Amanda Hardy acabou de mudar de cidade, mas a verdadeira mudança de sua vida vai ser encarar algo muito mais importante: a afirmação de sua identidade. Tudo que ela mais quer é viver como qualquer outra garota. E, embora acredite firmemente que toda mudança traz a promessa de um recomeço, ainda não se sente livre para criar laços afetivos. Até que ela conhece Grant, um garoto diferente de todos os outros. Ela não consegue evitar: aos poucos, vai permitindo que Grant entre em sua vida. Quanto mais eles convivem, mais ela se sente impelida a se abrir e revelar seu passado, mas ao mesmo tempo tem muito medo do que pode acontecer se ele souber toda a verdade. Porque o segredo que Amanda esconde é que ela era um menino.

Em seu romance de estreia, Meredith Russo retrata o processo de transição de uma adolescente transexual, parcialmente inspirada em suas próprias experiências. Enquanto traz à tona questões difíceis como dilemas existenciais, preconceito e bullying, o livro também fala de forma esperançosa e leve sobre amizade, descobertas e autoaceitação.

Está previsto para 30 de junho o lançamento de “Apenas uma garota” da Meredith Russo, mas o livro já está disponível para pré-venda na Amazon.

DEUS ZELA POR TI

É tão difícil crer que ao seu tempo tudo dará certo, quando tudo está dando errado. Quando você vê o estrago e a bagunça deixada pela passagem da tormenta e mesmo assim acreditar que  cada coisa voltará ao seu lugar. Isso se chama fé. Isso é confiar inteiramente no trabalhar do Senhor.
Sabe o que Jesus fez nos últimos minutos que antecederam sua prisão? Prisão essa que culminou em sua condenação e crucificação?
Orou por mim e por você! Duvida? Leia os seguintes versículos:

“Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal… Não peço somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua palavra. (João 17:15)”

Percebe o quanto és importante para Deus? O quanto Jesus se preocupou? Ele pessoalmente pediu para o Pai cuidar de você. Ele não pediu que lhe tirasse do mundo, ou seja, que te livrasse de uma vez por todas de passar por problemas e dificuldades, porque se assim fosse, você não poderia estar vivo e sim no paraíso. Pois só deixaremos de ter problemas o dia que estivermos na presença do Altíssimo no céu!
Mas Jesus em toda a sua sabedoria, pediu exatamente o que era preciso. Pediu para que o Pai lhe guardasse do mal e é exatamente isso o que Deus tem feito. Tem livrado você de males, que nem imaginava que existia, muito menos que estava tão próximo a ponto de te tocar.
Por isso, independente do que estiver passando, confia em Deus pois Ele não falha!
Saiba que tudo acontece por um motivo, você não está aí por acaso e sim para fazer a diferença para o bem e tudo para a honra e glória de Deus. E nessa jornada, aquilo que vem contra você no intuito de te destruir, no final só servirá para te fortalecer, pois Deus zela por ti.

 

 

Monýh Oliver

https://www.facebook.com/AbrigodaAlma/

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Temp_Saved Images_18319001_1601183046558709_6355461181670624727_o

Frankenstein – Mary Shelley

IMG_2110

Frankenstein é um dos clássicos mais importantes para toda a literatura de ficção científica e de terror que veio posteriormente, e sem dúvida um dos mais reinventados pela nossa contemporaneidade. De desenhos animados para crianças aos mais diversos estilos de filmes de terror, não quem não tenha, mesmo que vaga, alguma referência ao personagem Frankenstein ou, ainda, à busca frustrada por criar vida por meio da ciência.

No entanto, quando chegamos à obra original, percebemos rapidamente que estas referências tem pouca ou nenhuma relação com o texto de Shelley. Para mim esta foi uma releitura (em uma versão bem mais completa) de uma das minhas primeiras leituras em inglês, ainda na época do colégio. Então algumas dessas diferenças, como o fato de que o “Monstro” nunca é nomeado e Frankenstein é, na verdade, o nome do médico, do seu criador, e não da criatura, não foi surpresa para mim, mas acredito que seja para quem nunca teve contato com a obra.

O interessante é que, mesmo lembrando de alguns pontos centrais, existem muitos elementos que já haviam ficado perdidos nestes mais de 10 anos entre as duas leituras, então foi como descobrir a escrita de Shelley e a história de Frankenstein e de sua criatura toda de novo. Eu me surpreendi, refleti, me encantei e me frustei com estes personagens que são humanos, falhos e ao mesmo tempo completamente impressionantes.

Um dos lados mais interessantes da narrativa de Shelley é o modo como ela é capaz de nos fazer compreender os dois lados da história. Pois, no fundo, o que temos aqui são dois homens assustados: primeiramente, Frankenstein que, assustado e arrependido diante do resultado de sua obra, tenta renegar sua criatura, pois é só quando obtém sucesso em sua empreitada que consegue ver o quanto estava equivocado em achar que brincar de Deus seria simples e objetivo.

Por outro lado, vemos a criatura que, abandonada pelo seu criador e sem explicação alguma de como ou porque veio a existir, se vê sozinha e forçada a descobrir por si mesma quem ela é e qual é o seu lugar entre os homens. É impossível não se comover com sua condição, especialmente diante de seu esforço por aprender e encontrar um lugar no nosso mundo.

Somos forçados, no entanto, a encarar os fatos: será que, se postos frente a frente com uma criatura tal qual descrita por Mary Shelley seríamos diferentes? A trataríamos com respeito e compaixão? Ou somos todos, enquanto humanos, incapazes de lidar de um modo positivo com um ser tão radicalmente diferente de nós, mesmo que sendo, ao que tudo indica, formado de partes humanas?

Partindo de questões como essas, a leitura de Frankenstein acaba sendo um exercício radical de empatia. Até que ponto conseguimos ser empáticos com Frankenstein, que é o responsável pelo nascimento desta criatura? Até que ponto conseguimos ser empáticos com uma criatura que, perdida, desenvolve um comportamento cruel e violento? Até que ponto podemos, através da ciência, brincar de Deus e até que ponto somos os responsáveis pelas consequências de nossos experimentos?

Frankenstein é uma leitura forte, até um pouco violenta em alguns momentos, mas que tem seu grande trunfo nas questões que são colocadas, principalmente se pensarmos que foi publicada originalmente em 1818, quando sua autora tinha apenas 21 anos, e continua sendo tão pertinente. Já não tentamos reanimar corpos à maneira de Frankenstein, mas continuamos tentando driblar nossa mortalidade através da ciência. Será que um dia chegaremos lá? E, mais importante, será que nos arrependeremos, como Frankenstein se arrependeu?

Cultura: para o Governo, mercadoria; para a sociedade civil, um direito

A proposta, do Governo Federal, de tema a ser discutido na IV Conferência Nacional de Cultura (CNC) 2017 foca excessivamente no aspecto econômico da cultura, em detrimento da dimensão cidadã, segundo a qual os direitos culturais fazem parte dos direitos humanos. Essa é a avaliação do Colegiado Setorial de Literatura, Livro e Leitura do Conselho Nacional de Política Cultural (CSLLL/CNPC), órgão ligado ao Ministério da Cultura (Minc). O Plenário do CSLLL é composto por representantes do poder público e da sociedade civil.

Em contraposição à proposta do Minc, o colegiado sugeriu nova redação de tema, eixos, foco e objetivos da Conferência de Cultura. Confira abaixo:

TEMA DA CONFERÊNCIA
CONTRAPROPOSTA DO COLEGIADO
Cultura: direito fundamental do povo brasileiro
PROPOSTA DO GOVERNO FEDERAL
Cultura como vetor de desenvolvimento social e econômico no Brasil
EIXO 1
CONTRAPROPOSTA DO COLEGIADO
Eixo 1 – Economia da Cultura e Direitos Culturais
Foco: a economia da cultura e os desafios para a produção, difusão cultural e garantia dos direitos culturais.
Objetivo: avaliar o papel e os desafios do setor cultural para o desenvolvimento socioeconômico do país, considerando-o gerador de trabalho e renda e elemento estratégico da nova economia, na perspectiva dos direitos humanos, baseada na informação e na criatividade, impulsionadas pelos investimentos em educação e cultura.
PROPOSTA DO GOVERNO FEDERAL
Eixo 1 – Economia da cultura e novas tecnologias
Foco: A economia da cultura e os desafios para a produção e difusão cultural em face das novas tecnologias.
Objetivo: Avaliar o papel e os desafios do setor cultural para a economia e o desenvolvimento do país, considerando as aceleradas transformações tecnológicas que impõem novos modelos de produção e difusão.
EIXO 2
CONTRAPROPOSTA DO COLEGIADO
Eixo 2 – Democratização de acesso aos meios de produção e usufruto de bens culturais
Foco: democratização do acesso aos meios de produção e usufruto dos bens culturais, garantindo o respeito à diversidade e considerando o território como espaço de garantia dos direitos culturais.
Objetivo: discutir e propor políticas para a construção, ampliação e requalificação da infraestrutura cultural para a melhoria das condições de produção e acesso aos bens culturais de forma integrada a outros equipamentos sociais afins, nos territórios urbanos e rurais, na perspectiva do desenvolvimento humano, social e econômico.
PROPOSTA DO GOVERNO FEDERAL
Eixo 2 – Infraestrutura cultural, integração e desenvolvimento
Foco: Universalização e ampliação do acesso aos bens e serviços culturais por meio da ampliação, requalificação e integração da infraestrutura cultural para o desenvolvimento econômico e social no país.
Objetivo: Discutir políticas de preservação, recuperação, requalificação, construção, ampliação, reforma e modernização da infraestrutura cultural do país, de forma integrada com o esporte, o turismo e outros equipamentos sociais, como forma de promover o desenvolvimento econômico e de oferecer espaços para a fruição cultural, o lazer e informação, com foco no desenvolvimento humano e na melhoria das condições rurais, urbanas e socioambientais das cidades brasileiras.
EIXO 3
CONTRAPROPOSTA DO COLEGIADO
Eixo 3 – Tradição, inventividade e novas tecnologias
Foco: a relação entre os valores tradicionais da cultura, a inventividade e as novas tecnologias, a sustentabilidade na produção de bens artísticos, materiais e simbólicos.
Objetivo: discutir soluções diferenciadas, considerando, a renovação de recursos; a sustentabilidade; as conexões de ideias, realidades, culturas, ciências, modos de compreensão, de vivência da fé, entre outras possibilidades, bem como, as formas constitutivas das identidades culturais compreendendo a relação entre o público e o privado na produção dos bens culturais.
PROPOSTA DO GOVERNO FEDERAL
Eixo 3 – Cultura e sustentabilidade
Foco: A sustentabilidade na produção de bens artísticos e simbólicos.
Objetivo: Discutir as políticas culturas como construção de uma consciência em favor da preservação do meio ambiente e da redução das desigualdades; debater formas de financiamento das atividades culturais pelo Estado e pela sociedade; discutir a experimentação do desenvolvimento estético e as formas de salvaguarda das manifestações culturais tradicionais. Cada vez mais se observam episódios de intolerância do público em relação à cultura. Em vista disso, é também preciso entender o porquê de as manifestações culturais sofrerem tantos ataques, bem como discutir como a cultura pode recobrar sua dimensão simbólica no coração das pessoas.
EIXO 4
CONTRAPROPOSTA DO COLEGIADO
Eixo 4 – Democracia, cidadania e diversidade
Foco: a cultura como direito inalienável da pessoa humana por meio da garantia do exercício da cidadania plena, do respeito às diferenças e da participação ativa da sociedade na formulação e implementação de políticas públicas de cultura.
Objetivo: ampliar os mecanismos de fomento à produção cultural e de acesso aos bens simbólicos produzidos, fortalecendo os espaços institucionais de participação popular e de controle social das políticas públicas de cultura.
PROPOSTA DO GOVERNO FEDERAL
Eixo 4 – Democracia, cidadania e diversidade
Foco: Cultura como direito humano por meio da garantia da cidadania, diversidade e participação ativa da sociedade no seu desenvolvimento e bem viver.
Objetivo: Avaliar as possibilidades de ampliação e aperfeiçoamento dos canais de participação social como forma de garantir isonomia e diversidade no desenvolvimento das políticas públicas e da cultura no país.
EIXO 5
CONTRAPROPOSTA DO COLEGIADO
Eixo 5 – Políticas públicas de cultura: gestão e institucionalização
Foco: política pública de cultura, gestão participativa (pública e privada), institucionalização da estrutura como instrumento de integração federativa, a partir de orçamentos e mecanismos de financiamento (Lei Rouanet e Fundo Nacional da Cultura)
Objetivo: discutir e propor mecanismos institucionais e de gestão para coordenar e executar as políticas públicas para o setor cultural, além de fomentar a contínua formação de fazedores/agentes de cultura.
PROPOSTA DO GOVERNO FEDERAL
Eixo 5 – Política cultural, gestão e capacitação
Foco: Política cultural, institucionalidade e gestão: cultura como instrumento de integração federativa, capacitação e formação de fazedores de cultura.
Objetivo: Discutir mecanismos de melhoria institucionais e de gestão, além de capacitação de fazedores de cultura e dos instrumentos de implementação das políticas públicas para a cultura, como forma de (i) torná-las mais eficientes, eficazes e efetivas; e (ii) de promover a integração federativa, por meio do plano e do sistema nacional de cultura.
EIXO 6
CONTRAPROPOSTA DO COLEGIADO
Eixo 6 – Valorização, preservação, salvaguarda da memória e do patrimônio cultural material e imaterial
Foco: a preservação cultural realizada no âmbito local resultante de um trabalho que é socialmente compartilhado; que depende da criação, uso, conservação, desenvolvimento e transmissão de habilidades e conhecimentos específicos como fruto da iniciativa e perseverança de mestres e especialistas locais, fazendo parte dos processos de reprodução e mudança social.
Objetivo: valorizar a dimensão social do patrimônio nas cidades e fortalecer a perspectiva da integração entre a conservação e o planejamento urbano, a partir do reconhecimento e valorização da singularidade das áreas preservadas (enquanto conjuntos de artefatos, práticas e significações simbólicas) no contexto mais amplo da cidade.
PROPOSTA DO GOVERNO FEDERAL
Eixo 6 – Preservação e salvaguarda do patrimônio cultural
Foco: Os desafios atuais da preservação e salvaguarda do patrimônio cultural brasileiro: a gestão das responsabilidades concorrentes e a cooperação como estratégia para fortalecimento da política nacional de patrimônio cultural.
Objetivo: Construir um discurso e estratégias que tornem operativa, eficiente e objetiva a complexa gestão do patrimônio cultural junto aos diversos agentes governamentais e em diálogo inteligente com a sociedade, bem como alicerçar uma visão que confira credibilidade e efetividade à política patrimonial pautada na cooperação como via para o compartilhamento de recursos e o desenvolvimento de uma governança patrimonial sustentável.

A continuação de “O Exorcista”: LEGIÃO

Capa do livro Legião, de William Peter Blatty

fonte: darksidebooks.com.br

 

Se você é um dos milhares de fãs que “O Exorcista” ganhou pelo mundo, prepare-se: a verdadeira continuação desse clássico, Legião, será lançada pela Darkside Books!

SINOPSE: A história começa dez anos depois do exorcismo de Regan MacNeil, a jovem menina endiabrada que Linda Blair incorporou no cinema. Só que agora o sobrenatural ganha também uma pegada de romance policial.

O detetive (e cinéfilo nas horas vagas) William F. Kinderman volta à cena, investigando uma série de assassinatos brutais — entre eles, a crucificação de um garoto de apenas doze anos. O modus operandi dos crimes parece indicar a assinatura mórbida do assassino em série Geminiano. Mas como solucionar um caso em que o principal suspeito está morto há mais de uma década?

E aí? Preparada(o)?

Aviso!

Portal da escrita

news-426892_640

Oi gente!

Estou passando aqui só para dar alguns avisos!!!

O primeiro: Estarei um pouco ausente essa semana aqui do blog. Motivo: PROJETOS

Estou finalizando um livro que será publicado ainda esse ano. Estou fazendo as últimas análises das propostas que recebi e logo, logo, teremos uma decisão tomada e o livro será produzido 🙂

Para quem quiser saber mais sobre ele, já disponibilizei os primeiros 11 capítulos para leitura no wattpad.


Segundo:  A nossa loja virtual teve um problema com a integração com o pagseguro, mas já estamos resolvendo. Eles deram um prazo para a resolução até o dia 8 😦 Mas ficaremos na cobrança aqui.

Para quem desejar adquirir um de nossos livros, poderá realizar o pagamento via depósito ou transferência bancária através da conta abaixo, ou aguardar mais alguns dias até que a loja esteja ok.

Banco: Caixa Econômica Federal

Agência: 1573

Conta: 00032101-0

Operação: 

Ver o post original 102 mais palavras

%d blogueiros gostam disto: