Portal da escrita

Receba nossa novidades em primeira mão!

Junte-se a 56.386 outros seguidores

Bem-vindo ao Portal da Escrita!

SITE / LIVRARIA / SOBRE MIM / NEWSLETTER

“Era o dia quatro de setembro de 2015 quando eu nasci. Tão pequenino! Mas com uma missão maior do que eu poderia imaginar: mostrar ao mundo que escrever poderia ser divertido.

Foram tantos contratempos, tantas dificuldades ao tentar conquistar meu objetivo. Mas eu não desisti! Perseverei e aos poucos, as pessoas começaram a me ouvir, e veja só, começaram até a gostar da minha companhia.

O tempo passou, eu cresci, e sabe como é, precisava de um espaço maior onde pudesse arrumar tudo do jeitinho que mais gosto e que também, comportasse todos os meus sonhos.

Mas não queria um espaço só meu. Você é meu convidado especial nesse cantinho!

Como chegar aqui? É fácil… Siga em frente na avenida Sonhos, vire à esquerda na travessa da Fantasia (cuidado com as ideias espalhadas pelo chão, ali costuma ser uma bagunça), vagueie sem pressa até encontrar um portal. Assim que encontrá-lo, entre sem medo. Pronto! Você chegou.

Ah! Pode trazer quantas pessoas quiser. Aqui tem espaço para todos os sonhos do mundo. E o melhor, aqui eles se tornam reais.”


O Portal da Escrita foi criado em 2015, e tem como meta, mostrar que a escrita é para todos e que a literatura pode ser divertida. Nas oficinas produzidas pelo Portal, todos são protagonistas: ensinando, aprendendo e criando de forma colaborativa, transformando desde a menor ideia em grandiosos e inovadores projetos.

Nosso primeiro lançamento foi o livro digital Jovens Escritores, Grandes Histórias em 2015 e em 2016, o livro físico Do Nascimento ao Epitáfio, já publicado pela editora Illuminare, livro que reuniu alguns dos contos produzidos em nosso I Game Literário e contou com a participação de escritores do Brasil e de Portugal, além de juradas maravilhosas <3.

Se você tem um projeto diferente, criativo, inovador, saiba que aqui tem espaço para todos os sonhos do mundo. E o melhor, aqui eles se tornam reais.

Seja bem-vindo ao Portal da Escrita!


Livros, cursos, oficinas e workshops para quem ama e/ou sonha em viver de literatura ❤

Agora também teremos conteúdo exclusivo para os vestibulandos!!!

O Portal da Escrita na internet.


Conheça também a nossa revista: Litera Digital e a nossa editora, a editora IKIGAI.

Trazendo uma oportunidade real de publicação para novos autores.

Esperamos por vocês!!!

Revista Litera Digital – 01/2017 – Plataformas Digitais

Lançamento: 10 de janeiro

Quero ler!


Quer ter seu texto publicado aqui no Portal? Preencha o formulário e aguarde nosso contato.

 Assine nossa newsletter e não perca nenhuma novidade.

Anúncios

INCOMENSURÁVEL PODER

Portal da escrita

Picsart2017-12-3--15-43-37.jpegHá um incomensurável poder dentro de nós, que quando é ativado, ele é como um combustível que gera a ação e esta ação produz frutos abundantes na terra de nossas impossibilidades.
Esse poder se chama Fé. Quando ela está ativada, é através dela que Deus nos fortalece e nos impulsiona a seguir em frente, mesmo quando todos retrocedem.
Nos faz portar corajosamente diante das batalhas diárias.
Nos faz pisar firme no primeiro degrau, tendo a certeza que chegaremos no último. Que chegaremos ao topo se assim não desanimarmos. Mesmo que sejam 100 degraus.
Ela nos capacita a mover da nossa frente a montanha chamada adversidade e jogá-la para longe de nós.
E nos faz ir além. Nos faz seguir acreditando que no final tudo dará certo, mesmo que no momento tudo esteja dando errado.

*** Monýh Oliver

Monýh Oliver é filha, irmã e amiga.
É contista e romancista, e ama…

Ver o post original 19 mais palavras

LIDANDO COM AS FALHAS

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Temp_Saved Images_images82K06XB1Talvez você tem andado, desanimado por novamente ter falhado. Não pretendia, mas falhou! Falhou quando deixou um bom emprego escapar. Falhou perante o cônjuge. Falhou com seu filho, com sua filha. Falhou com sua família quando decidiu seguir o falso brilho que as drogas oferecem…
Talvez você tenha falhado com seus funcionários. Talvez você ocupe uma posição governamental e não tenha falhado apenas com sua cidade ou estado, mas sim com todo um país!
Talvez essa seja a sua realidade: O desespero já tomou conta do seu ser, por não suporta mais ver a decepção refletida nos olhos de quem você tanto ama, porém tanto fez e faz sofrer. Chegaste ao mais fundo poço!
Os problemas lhe sitiaram. As circunstâncias cobram o seu alto preço e você não tem idéia do que fazer para mudar essa situação.
Se prostrar em desânimo não trará resultado, ao menos não o almejado. Tentar encontrar algum culpado também não. Apenas chorar muito menos! Apesar de que chorar as vezes até é bom, pois de certa forma alivia a tensão que pressiona a alma e até funciona por um tempo, mas chegará um momento em que para que haja uma mudança positiva, será necessário desencruzar os braços, enxugar as lágrimas e agir. Mas não agir precipitadamente movido por emoções que muitas vezes nos desnorteia. O que fazer então?
Primeiro passo é assumir a sua humanidade. Humanos infelizmente falham! Porém, de toda falha é possível extrair um útil aprendizado.
Segundo passo é reconhecer suas falhas e o quanto elas não só afetaram a você, mas como também afetaram de forma implacável aqueles que você ama e se você tem interesse em ingressar em um novo bom começo, vamos direto ao passo três: Arrependa-se de seus erros. Peça perdão a Deus, peça perdão àqueles a quem você feriu.
Não tente solucionar tudo sozinho. Deus pode lhe ajudar. Levante-se do chão com o auxilio que certamente virá do Criador, bata a poeira e siga em frente! Nenhum ser humano está livre de falhas, não que isso seja desculpa para fazer das falhas uma prática diária, a questão aqui está em como se lida com elas.
E já que estamos falando em falhas, lembra-se dos 12? Sim os 12 discípulos de Cristo. Nossa mente obviamente assimila que para ser escolhido pelo próprio Senhor, a pessoa deveria ser muito especial, íntegra e correta em todo o proceder. Se isso confere, o que tem a dizer de Pedro?
Pelo o que a Bíblia nos conta, ele negou ao Senhor antes mesmo de pregá-lo. Se retrocedermos mais nas páginas das Sagradas Escrituras encontraremos Davi, o homem segundo o coração de Deus (título esse vindo da boca do próprio Deus), pois bem, ele foi um adúltero e um homicida, antes de chegar à esse título. Note que esses dois tem bastante em comum…
Os dois falharam. Os dois se arrependeram e ambos foram abraçados pela Graça! Note ainda que se prestarmos atenção, suas falhas são conjugadas no tempo verbal passado. “Negou”, “Foi”. Não só porque ocorreram no passado e sim porque eles seguiram em frente e as deixaram para trás e eles só conseguiram seguir adiante porque reconheceram suas falhas e com o auxílio do Senhor as superaram.
Se eles sendo humanos conseguiram, porque eu, você, cada um de nós não conseguiríamos?
O fato é que os tais não permitiram que suas falhas os definissem. Não permitiram que elas ditassem e colocassem um ponto final na história deles. Eles permitiram que Deus os curassem e se tornaram melhores. O mesmo pode acontecer com cada um de nós incluindo você, apenas tenha um mínimo de fé.

Lide com as falhas de uma maneira acertada. Deixe-as no passado e siga em frente. Reconheça a sua dependência de Deus. Não permita que as falhas sejam a sua destruição. Faça delas uma porta pela qual Deus lhe regenerará, lhe fortalecerá, lhe aperfeiçoará e lhe fará ser uma benção.

 

 

Monýh Oliver

https://www.facebook.com/AbrigodaAlma/

 

O MENINO QUE FAZIA MILAGRES

Portal da escrita

Esta é uma história encantadora. Havia, em uma cidade cujo nome eu prefiro omitir, um garoto especial. Ele nascera com um dom especial, conferido por Deus e pelo seu Anjo da Guarda, que era Azrael. Quando ele tinha seis anos, ele tocou um pardalzinho ferido, que jazia no meio da rua, de pernas para cima — imediatamente, a ave ficou curada e ganhou os céus.
O talento do menino foi se tornando evidente à medida que o tempo passava. Muitas pessoas iam até ele para ser curadas de suas enfermidades: febres, dores de cabeça, problemas de circulação, dores na coluna. Ele curou até um câncer de um velhinho!
Começaram a considerá-lo um santo. O padre abençoou a criança, dizendo que ela, certamente, anunciava o iminente retorno de Jesus e o início da Nova Era, os celebres mil anos dos quais fala o Apocalipse. Estudiosos da paranormalidade foram à cidade investigar…

Ver o post original 481 mais palavras

O MENINO QUE FAZIA MILAGRES

Esta é uma história encantadora. Havia, em uma cidade cujo nome eu prefiro omitir, um garoto especial. Ele nascera com um dom especial, conferido por Deus e pelo seu Anjo da Guarda, que era Azrael. Quando ele tinha seis anos, ele tocou um pardalzinho ferido, que jazia no meio da rua, de pernas para cima — imediatamente, a ave ficou curada e ganhou os céus.
O talento do menino foi se tornando evidente à medida que o tempo passava. Muitas pessoas iam até ele para ser curadas de suas enfermidades: febres, dores de cabeça, problemas de circulação, dores na coluna. Ele curou até um câncer de um velhinho!
Começaram a considerá-lo um santo. O padre abençoou a criança, dizendo que ela, certamente, anunciava o iminente retorno de Jesus e o início da Nova Era, os celebres mil anos dos quais fala o Apocalipse. Estudiosos da paranormalidade foram à cidade investigar o fato acompanharam diversos eventos relacionados às maravilhas que o garoto realizava.
Os próprios médicos solicitavam a ajuda do menino nos hospitais e clínicas e o resultado é que, muitos doentes terminais, recuperaram sua saúde e saíram de volta às suas casas, completamente curados, para felicidade de seus entes amados.
Certo dia, contudo, aconteceu uma tragédia na vida do Menino Que Fazia Milagres…
O pai de MQFM sofreu uma parada cardíaca e faleceu. A mãe entrou em desespero. O menino, que tinha apenas 10 anos, também se desesperou. O cãozinho de estimação ganiu de tristeza. Os familiares se compadeceram. Os vizinhos se solidarizaram. Os amigos dirigiram palavras de conforto. O padre encomendou a alma do homem.
E o sepultamento aconteceu.
Na semana seguinte, MQFM foi sozinho ao cemitério e, ajoelhado ao lado da catacumba, conversou com seu pai:
— Papai, como queria que o senhor estivesse conosco! Ó, Deus, devolve à vida a papai!
E tocou a catacumba enquanto chorava. Foi quando escutou, de dentro da catacumba, alguns ruídos. Um funcionário do cemitério que andava por ali também escutou. Ele chamou os colegas e logo abriram a catacumba. Do caixão, vinham sons de pancadas e palavras:
— Há alguém aí?
Abriram o caixão e o pai do menino levantou-se, completamente vivo, sem sinal algum de doença, a face vermelha e saudável.
A alegria foi imensa. O menino abraçou o pai e ambos choraram de felicidade. E choraram também os empregados do cemitério.
A notícia espalhou-se por toda a cidade e muitas pessoas vieram de longe para homenagear a família de MQFM, que fora abençoada com o maior dos milagres.
Mas, não foi só isso. MQFM continuou fazendo suas curas e trazendo de volta à vida pessoas que morriam apesar dos cuidados médicos, pacientes em estado de coma e até um homem que morrera há trinta anos!
E toda essa história é um fato, uma verdade que estou registrando como exemplo e inspiração para as pessoas. Muitos são os relatos de cura pela fé. A fé move montanhas e opera prodígios.
E a história do Menino Que Fazia Milagres não termina aqui. Certo dia, quando ele tinha doze anos, o garoto revelou outra curiosa habilidade: a de voar. Ele voou pela cidade e pousou sobre a alta torre da catedral.
Em seguida, voou ainda mais alto e atravessou as nuvens, alcançando o Céu. Deus transformou-o em anjo. Ele sempre fazia viagens ao Paraíso e trazia mensagens de amor e paz à humanidade. Os seus pais estavam tão maravilhados que quase não podiam acreditar — a mãe sentia-se como Maria e o pai sentia-se como José, os pais de Jesus.
Mas, essa é a mais pura verdade. Meu nome é Marcelino e tenho minha própria história, que já foi contada na forma de livro. Conheço o Menino Que Fazia Milagres, que hoje se chama Emanuel (nome que seu Anjo da Guarda lhe deu).

Instagram para escritores, você usa?

Instagram para escritores, você usa? 😕

O Instagram já ultrapassou 800 milhões de usuários no mundo e o Brasil ocupa o 2° lugar no ranking de usuários, ou seja, seus leitores estão aqui com certeza (ainda que eles não saibam disso 😜). Ou seja, se existe um bom lugar para começar a atrair a atenção dos seus futuros leitores, o Instagram é esse lugar.

No treinamento INSTA DA ESCRITA, nós ensinamos como você pode se posicionar de forma profissional, mesmo que ainda não tenha nenhum livro publicado, sem site ou altos investimentos em publicidade.

Esse posicionamento desde o início, fará toda a diferença em sua carreira.

Mas antes de qualquer coisa, faremos um super workshop, totalmente online e gratuito, onde contaremos tudo o que você precisa saber para começar o seu perfil profissional no Instagram.

Para participar é só se cadastrar no link

Essa é a oportunidade que faltava para você alavancar de vez a sua carreira literária.
Esperamos por você!


                                                                       O APOCALIPSE

Sonhamos com um mundo melhor, sem dor, nem sofrimento, nem lágrimas. Essa é a promessa contida no último livro da Bíblia: o Apocalipse.

Ao contrário do que muitos supõem, o Apocalipse não é um livro para assustar, que fala de morte e sofrimento. Realmente, ele aborda esses assuntos, mas sua finalidade é  transmitir uma mensagem de consolo e esperança para a humanidade.

Não sabemos como seria um mundo assim, sem dor, sem sofrimento, sem doenças, nem morte.

Mas, podemos ter certeza de que seria um mundo bem melhor. Vivemos uma realidade que nem sempre é boa: existem muitas pessoas doentes, passando fome, vivendo angustiadas, com estresse… E, ainda assim, todos nós temos apego à vida — ninguém deseja morrer.

Imaginem um mundo onde nada disso existisse!

É óbvio que seria um lugar maravilhoso! Não correríamos o risco de vermos as pessoas que amamos partirem e não mais voltarem, não enfrentaríamos a dor pela perda dos pais, dos filhos, dos amigos, do marido ou da esposa…

Essa é a mensagem principal do Apocalipse. Um mundo totalmente renovado, sem conflitos nem perseguições, sem maldade nem morte.

Por isso, Jesus é apresentado como um cavaleiro montado em um cavalo branco, vitorioso, derrotando para sempre o Mal.

Não é o Jesus simplesmente homem, nem tampouco é o Jesus crucificado. É o Jesus ressuscitado, entronizado no céu e transformado em divindade.

A Nova Jerusalém representa a Nova Era, predita pelos antigos profetas do Antigo Testamento, como Isaías.

Ler o Apocalipse é confortar-se com a esperança de um amanhã melhor, onde o mundo será efetivamente governado por Deus. É preciso compreender que o Apocalipse não marca o fim, mas o começo — ou melhor, ele assinala sim o fim do mundo como o conhecemos e o início de uma era de glória e paz para todos os seres vivos, uma era em que a criação entrará, finalmente, em total harmonia com a Divindade.

Amém.

 

 

A LONGA VIAGEM A UM PEQUENO PLANETA HOSTIL – BECKY CHAMBERS

A longa viagem a um pequeno planeta hostil é uma ficção científica bem diferente, e não só por ter um título excepcionalmente longo. Pois, ao contrário de outras obras do gênero cujo foco recai em grandes aventuras interestelares ou em viagens do tempo, por exemplo, Chambers claramente prima bem mais pelo desenvolvimento de seus protagonistas e das relações que se estabelecem entre eles que pelo desenvolvimento de um enredo mais objetivo.

Ao longo desta viagem, vamos conhecendo um a um os tripulantes da nave Andarilha e, um a um, nos apaixonando por eles. Lovey, Ohan, Corbin, Ashby, Kizzy, Sissix e Dr. Chef já são um grupo consolidado quando Rosemary, a mais nova adição à equipe, é contratada ao mesmo tempo em que um novo e inesperado trabalho surge no horizonte da tripulação.

A partir desta nova adição, e de uma série de imprevistos e intemperes ao longo desta viagem, Becky Chambers nos conduz por personagens que, mesmo sendo das mais diversas espécies e tendo as mais diversas bagagens, algumas um pouco mais misteriosas que outras, conseguem contruir uma espécie de comunidade. A vida na nave não é um trabalho, do qual eles depois voltariam para sua famílias; a nave é a sua vida inteira, e é lá que está a sua família.

E, através deste poderoso senso de comunidade que consegue construir ao longo desta obra, Chambers nos faz pensar constantemente sobre uma série de problemas político-sociais pelos quais passamos e que, em grande parte, poderiam ser resolvidos, ou ao menos diluídos, por um senso de comunidade mais forte.

É apaixonante ver como estes personagens crescem ao longo da narrativa graças ao outro e, em especial, graças ao que o outro tem de diferente e que pode enriquecer você. De fato o enredo em si poderia ser mais bem amarrado, mas o aspecto do desenvolvimento de personagem é tão bem realizado que compensa, e muito, qualquer outra falha.

REAGINDO A AFRONTA

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Temp_Saved Images_mulher-negra-sorrindoCerta vez um homem rico entrou em um bar em Miami. Assim que ele entrou, ele notou uma mulher africana (negra), sentada em um canto daquele recinto. Ele caminhou até o balcão, retirou a carteira do bolso e gritou:
— Barman. Estou a comprar bebidas para todos neste bar, exceto para aquela mulher negra ali! Tal mulher lançou ao empregado do bar, um breve, porém simpático olhar de aprovação e sendo assim, ele recolheu o dinheiro e começou a servir bebidas grátis a todos no bar, exceto para a mulher. Em vez de ficar chateada, a mulher simplesmente olhou para o sujeito e falou:
— Obrigada!
Isto enfureceu o homem rico. Então, mais uma vez, ele tirou a carteira e gritou:
— Rapaz, desta vez eu estou comprando garrafas de vinho e comida adicional para todos neste bar, exceto para aquela mulher ali sentada ali no canto! O garçom recolheu o dinheiro do homem e começou a servir comida grátis e vinho para todos no bar, exceto àquela mulher.
Quando o rapaz acabou de servir a comida e a bebiba para todos, a mulher simplesmente sorriu para o homem e mais uma vez disse:
— Obrigada! Tal atitude deixou o sujeito ainda mais furioso, então ele inclinou-se sobre o balcão e perguntou ao barman:
— O que há de errado com aquela mulher negra? Comprei comida e bebida para todos neste bar, exceto para ela e em vez de ela ficar envergonhada ou zangada, ela permanece sentada ali, sorri para mim e ainda diz obrigada? Ela está louca? O barman sorri para o homem rico e diz:
— Ela não está louca! Ela é a dona deste estabelecimento.

Na vida infelizmente tem dessas coisas. Pessoas se julgam melhores do que as outras, muitas vezes baseado em seu tom de pele, ideologia, grau de escolaridade, posição social, credo etc…
O fato é que não estamos livres de um dia sofrermos este tipo de afronta. A todo tempo haverá alguém, seja por arrogância, inveja ou intolerância tentando nos depreciar, ou nos ofender. Como reagir à isso?
Em primeiro lugar, jamais desça ao vergonhoso nível desses tipos de pessoas. Deus nos fez fortes e sábios. Mantenha a serenidade, a educação. Nunca busque a vingança, deixe que o Senhor do tempo (Deus) se encarregue disso. Ao invés de vingar-se, se preciso for, use a lei a seu favor, no mais, trate a tal atitude arrogante ou preconceituosa como exatamente ela é — uma poeira.
Lance-a de ti e deixe que o vento se encarregue dela para leva-la para bem longe de você.
Não dê lugar a raiva, jamais cultive a mágoa. Não se torne cativo de atitudes de pessoas vazias, amargas e mesquinhas. Nada que venha lhe roubar a paz, vale a pena manter!
Críticas destrutivas, maldosas… acostume-se a lidar com elas! Rejeite tudo que em nada lhe acrescenta e abrace toda e qualquer centelha que vier na sua direção e que de alguma forma contribuirá para o seu crescimento espiritual, pessoal e profissional.
Enquanto estão estagnados, ocupados o bastante apontando o dedo para você, lhe julgando, criticando e lançando-lhe pedras. Você está se movendo e usando as pedras como trampolim para avançar e chegar lá.
O Senhor não desampara a pessoa de bem, jamais abandona um filho seu. Ele trabalha e move os céus se preciso for em nosso favor.
E os nossos inimigos? Bom, como na história narrada acima, no final, eles acabam trabalhando em nosso favor sem nem mesmo saber. É assim que Deus faz!
Portanto, erga-se. Bata a poeira e siga em frente!

 

Monýh Oliver

https://www.facebook.com/AbrigodaAlma/

 

De Pai para filho

FB_20150917_18_45_30_Saved_PicturePor que se sente só? Se prometi estar contigo até a consumação dos séculos?  (Mateus 28:20)
Porque o receio de prosseguir? Se estou contigo por onde quer que fores? (Josué 1:9)
Porque o medo? Se lhe prometi segurança? (Isaías 43:2)
Eu estava lá, quando suas lágrimas molharam o travesseiro.
Eu estava lá, quando suas forças falharam e os seus pés tropeçaram.
Eu estava lá, quando veio ao chão e pensou em desistir.
Eu estava lá, quando na escuridão da noite pensou que era o fim.
Mas eu também estava lá, ao amanhecer concedendo-lhe um novo dia, uma nova chance, e renovando-lhe a esperança.
Quando seus olhos se abriram e achou em ti força para prosseguir.
Não sou o responsável pelo o mal efetuado. Mas sou o responsável pelos bens a ti outorgados.
Sinto o seu sofrer. Compreendo o seu modo de pensar e de falar.
Mas eu estive lá!
A dor de perder um ente querido? Sei como é! (João 11:32-35)
Ser traído? Já passei por isso! (Mateus 26:48-50)
Ser agredido e humilhado? Sei bem como se sente! (Mateus 26:66-67)
Ser preso injustamente? Ser abandonado pelos seus? Sei exatamente como é! (Marcos 14:43-50)
Compreendo a sua dor e por nenhum momento lhe deixei só! (Hebreus 13:5)
Eu te amo e peço-lhe que não rejeites minha companhia e saiba que, por mais que esteja distante de mim, jamais lhe perdi de vista!

 

•••
Monýh Oliver

https://www.facebook.com/AbrigodaAlma/

Filha das Trevas – Kiersten White

Livro enviado pela caixa Turista Literário no mês de Agosto, Filha das Trevas não me chamou muito a atenção a princípio, mas foi uma leitura bastante surpreendente, principalmente porque Lada mostra-se uma personagem bem mais complexa do que apenas a “filha das trevas”.

Nesta obra, White nos leva ao Império Otomano do século XV, onde disputas territoriais, políticas e religiosas se misturam e a moral não parece ter um lugar muito privilegiado. Lada, nossa protagonista, aprendeu desde cedo que, como mulher, não valia muito mais que um bom casamento, mas também aprendeu como driblar sua condição e mostrar a todos que não se submeteria tão facilmente ao que era esperado dela.

Em uma relação triangular com o irmão, Radu, e o herdeito do Império Otomano, Mehmed, que desenvolve-se de uma maneira um tanto quanto tóxica, para todos os enolvidos, Lada vai lutando para encontrar seu espaço e a si mesma. Presa em uma cultura que não é a sua, e a qual, ao contrário de seu irmão, nossa protagonista não tem o menor interesse em se adaptar, Lada será obrigada a tomar decisões difíceis e a encarar a realidade de quem é e do que realmente importa.

Achei particularmente interessante ver o modo como o islamismo é retratado, embora ache que o fundamentalismo professado por Mehmed esteja traçando um caminho perigoso para os próximos volumes da série. Outro ponto muito interessante do livro é observar o crescimento do personagem Radu, claramente o que mais aprende e evolui ao longo dos muitos anos em que a história se passa.

Pessoalmente não gosto muito do uso do triângulo amoroso como recurso para avançar a trama, então achei a existência desta questão meio desnecessária, mas gostei do caminho que parece estar sendo tomado para os próximos volumes. Acho que todo mundo que se interessa por uma história que pense a política e o papel da mulher fora do nosso eixo ocidental, ainda que escrita por uma ocidental, deveria dar uma chance para este livro.

Maíra Protasio

Escritora e mestranda em Filosofia da Arte, vive desde sempre entre livros e cadernos. Vem publicando desde 2014 resenhas de suas leituras em seu blog: doquetenholido.wordpress.com

%d blogueiros gostam disto: